Lalá & Lulu on the road: Kansas City – Denver

Ah, o Kansas!! O que tem no Kansas além de pequenas cidades e MUITAS plantações de milho? Bom, tem a história do Mágico de Oz com direito a museus sobre o filme, e tem tornados!!! Há exatamente 8 meses estávamos saindo de Miami na Flórida, rumo a Denver no Colorado. E o terceiro trecho da viagem foi composto por 80% Kansas e 20% Colorado. Saímos de Kansas City no Kansas, voltamos alguns quilômetros para o Kansas City no Missouri, nos abastecermos de café (cada um com seu combustível, né) e seguimos novamente pela I-70 rumo ao oeste.

Kansas City fica a apenas 280 metros de altitude com relação ao nível do mar e Denver fica a 1600 metros. Eu sempre me perguntava como que subíamos tanto até Denver se toda essa região é extremamente plana. Também ficava o tempo todo pensando, à partir de onde que vamos conseguir ver as montanhas rochosas da estrada? Enfim, eu parecia uma criança animadíssima com a viagem pelo Kansas (acreditem). Durante essa viagem eu tive a resposta da primeira pergunta: o Kansas é uma grande rampa! Estamos subindo sempre, sempre e sempre. Devagar e sempre! E só um pouco depois de Denver é que de fato começamos a subir o pé das montanhas. Pois é, e toda essa região plana favorece a formação de tornados (já expliquei um pouco sobre isso no post “Toto, I’ve a feeling we’re not in Kansas anymore!“). Com relação a ver as montanhas eu não posso responder ainda porque chegamos de noite em Denver e pra piorar estava nublado.

Bem, o Kansas não é assim de todo ruim, mas é um trecho bem cansativo. Além de ser uma estrada reta e plana com plantação de milho por todos os lados, tem muitas viaturas escondidas prontas para pegar os apressadinhos na estrada. Por isso então, todos os motoristas dirigem na velocidade máxima da via que é de 75 milhas por hora, equivalente a 120 km/h. Um dos melhores momentos da viagem pelo Kansas foi a parada na cidade de Salina, onde descobrimos o melhor hambúrguer de todos os tempos, numa lanchonete chamada “The Cozy Inn” que serve hambúrgueres com a mesma receita desde 1900 e guaraná com rolha (literalmente, porque a lanchonete abriu em 1922), e lá a gente come hambúrguer igual ao Dudu (Wimpy) do Popeye, lembram?

img_0148.jpg

Achamos engraçado quando estacionamos ao lado da lanchonete que tinha uma fila enorme de espera numa janelinha do lado de fora, como se fosse um “walk-thru” ao invés de um drive-thru, onde se faziam os pedidos e se aguardava também. Eu e o Lucas queríamos nos sentar para almoçar e descansar um pouco, já que estávamos dirigindo há umas três horas depois de dois dias inteiros na estrada. Enfim, entramos na lanchonete que só tinha o balcão do bar com uns 5 assentos, duas pessoas comendo, o dono da lanchonete concentrado montando uns 30 hambúrgueres ao mesmo tempo, e a filha dele na chapa grelhando os bifes e a cebola. Então, o dono da lanchonete nos perguntou quantos hambúrgueres nós iríamos querer e os dois fofos responderam “só um, uai!” –  e eu ainda fiquei me perguntando “mas ele nem sabe qual eu vou pedir”… Instantaneamente nos perguntaram se era a primeira vez que estávamos ali, de onde éramos, para onde iríamos… Bem, a resposta da primeira pergunta foi sim, seguido claro, de um por quê. Aí então fomos entender que todos os hambúrgueres são iguais (pão, carne fininha, cebola, picles, mostarda e ketchup) e são todos pequenos. Claro que você pode comprar quantos quiser, mas é divertido seguir a regra da casa de 6  hambúrgueres e seus múltiplos. Então, se algum dia for parar no The Cozy Inn em Salina, pode ir pensando em comer (ou levar) uns, 6, 12, 18, 24…

Amamos a lanchonete, o dono é uma pessoa super agradável – contou casos, a gente contou caso também, papeamos e ainda nos propôs de ir adicionando hambúrgueres pra gente aos poucos até que ficássemos satisfeitos. Mas a pergunta que não queria calar era, por que é tão pequeno lá dentro e por que todo mundo leva os hambúrgueres? Bom, uma das respostas acredito que seja porque a gente realmente fica com cheiro de hambúrguer! Nosso carro ficou com cheiro de hambúrguer por uns 3 dias, isso porque a gente nem entrou com comida no carro! Enfim, cheirando a hambúrguer ou não, eu realmente recomendo a parada em Salina no Kansas só pra essa preciosidade! Vale muito a pena!

A outra parte interessante da viagem foi o alerta de tornado na estrada. Ah! Como eu queria ter visto um tornadinho, unzinho que fosse!!! Sim, são perigosos, sim tem gente que acha que eu sou doida por causa disso, sim já sonhei em ser caçadora de tornados (quando pequena hahaha), mas acho que ia realizar um sonho de infância desde que vi o primeiro tornado na vida, no Mágico de Oz. Juro que não parava de comentar sobre isso com o Lucas, mas o mais perto que estivemos foi um alerta no rádio e nada mais! Já tive algumas experiências mais emocionante que essa, mas essa eu conto num outro post, outro dia!

E assim foi, depois do alerta de tornado no final da tarde, dirigimos mais umas 3 ou 4 horas e finalmente chegamos em casa! Ah, caso queiram conhecer a lanchonete ” The Cozy Inn”, eles têm um site: https://www.cozyburger.com/

Espero que tenham curtido a nossa viagem! E até a próxima história! 🙂

By Lalá

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s